Vitimização e Depressão

Uma compreensão espiritual

      O texto abaixo está disponível também em inglês neste link.

 

    Se você tem participado das minhas Lições Espirituais, sabe que sou uma grande fã do livro da nova era "Um Curso em Milagres", canalizado nos anos 60 por Helen Schucman com os ensinamentos de Jesus Cristo. Nele, há uma parte em que Jesus nos fala sobre a depressão:

 

“You’re hiding little spots of hatred that are hurting you; depression always arises from a sense of being deprived of something you want and do not have”.

 

"Você está escondendo pequenos pontos de ódio que estão te machucando. Depressão sempre surge de um senso de ser privado daquilo que você quer mas não tem".

     Essa passagem me fez relacionar com a vitimização que, passei a entender, como sendo uma faceta da depressão.

    Acredito que se aprendermos a reconhecer os sinais da vitimização - afinal, muitos que pendem pra esse lado sequer entendem que estão se vitimizando, tão enraizado está esse comportamento -, acredito que passaremos a ver o quão inútil ela é. E então, quem sabe, deixemos de apelar para seu falso poder, que não está realmente nos servindo.

    Já parou pra pensar que a pessoa que se vitimiza acredita fielmente que ela é impotente em relação a qualquer que seja a situação que a aflige? É por isso que ela está sempre reclamando (e com medo!). E a razão por trás disso é porque, lá no fundo, existe um senso de que ela não pode alcançar o que deseja pra sua vida. 

    Por trás daquelas melancólicas reclamações há um bebê chorando - perceba, quando estamos nos vitimizando estamos agindo e soando feito crianças… observe!

    Em último senso, a pessoa que se vitimiza, tenha ela consciência ou não, se sente presa; presa numa prisão que ela firmemente acredita que não pode escapar. (Isso quando essa prisão não foi criada apenas na sua mente, por suas crenças limitantes, elas não são nem mesmo reais se considerarmos o Universo como um local abundante de possibilidades). 

    É por isso que podemos dizer que a pessoa que se vitimiza sempre se sente impotente; incapaz de agir no mundo. E sentir-se incapaz de agir, é sentir-se incapaz de criar, certo? Criar soluções, saídas, novas estratégias, caminhos…

    E isso me levou a uma conclusão perturbadora: a pessoa que se vitimiza, num sentido profundo, se sente incapaz de viver!  Porque viver, em último senso meu querido amigo, é criar!

 

    Quantos suicidas não pensaram ser incapazes de viver, não é mesmo? Fica aqui um ponto pra reflexão, afinal, quem se sentiria feliz e entusiasmado para viver uma vida a qual não sente que pode gerir? Que lhe parece um fim da linha sempre?

    A vitimização nos faz sentir miseráveis e num permanente, porém sutil, sentimento de tristeza, porque a mensagem oculta que ela traz para nossa mente-corpo-espírito é a de que não podemos!

    Por isso, por favor: cuidado com a vitimização! Ela não está te protegendo; ela não está sendo fiel a você. Ela está te iludindo em relação à sua verdadeira identidade (Eu-Maior) e te impedindo de tornar-se quem você foi feito para ser, à medida que te faz perder tempo e energia que, de outra maneira, estaria sendo melhor investida para construir seus sonhos.

    Essa crença na vitimização não está te ajudando realmente, criatura de Deus. Tudo que precisamos já nos foi dado! Está tudo dentro de você, apenas esperando para ser acessado e desenvolvido. 

    Entenda de uma vez: você é capaz de qualquer coisa que queira. A única coisa que separa você de seus maiores desejos são as suas crenças! Como dito por Jesus em "Um curso em Milagres": 

    "Saiba que você não é privado de nada, exceto por suas próprias decisões. Decida, então, diferente".

 

Muito obrigada por ler. Com amor para sua reflexão e crescimento, 

Mary Sweet.

ps: me conte aqui nos comentários: isso fez sentido pra você?